segunda-feira, julho 27, 2009

Manga-coco

O Ribeirão da Ilha sempre foi mágico pra mim. Nasci praticamente lá (a maternidade no centro foi um detalhe). Foi lá minhas primeiras peripécias sobre uma bicicleta (o que me rendeu um curativo espetacular). É lá onde moram minhas mais gostosas lembranças das férias, dos pés de frutas, dos meus namoricos; minhas lembranças visuais das casas antigas, do morro verdinho atrás de casa, da fogueira junina na casa da vó Anita, dos folguedos carnavalescos do Zé Pereira, do orgulho sempre contido de ver meus parentes conduzirem os cantos e encantos na banda Nossa Senhora da Lapa. É no Ribeirão que moram minhas lembranças gostosas da praia calma e limpa, das brincadeiras com os primos, do bolinho de chuva com suco servido na beira da prai pela madrinha, da caminhadas de fim de tarde com a Tia Marinez, para tirar as gordurinhas da adolescencia. E nessas gostosas caminhadas, um cheiro e um sabor sempre ficaram: o da manga-coco. Os pés gigantes das mangueiras ao longo da estrada, nos terrenos baldios, eram pratos cheios de sabor para a nossa paradinha rápida da caminhada. E um dia, tentando fazer poesia com o violão, me deparei, na lembrança, com esse cheiro e o sabor da manga-coco. Nem sei se os pés ainda estão lá, se a manga-coco ainda deixa seu cheiro e sabor peculiar por aquelas bandas. Mas, o que importa. Foi só unir o passado e o presente e saiu uma canção. Uma espécie de bossa para a poesia.
O tema, talvez , só faça sentido pra mim. Mas já é o suficiente para que eu a cante sempre.
Um dia, gravo ela e coloco como um vídeo para os meus amigos escutarem. Agora, vai a letra...




Ai que saudade da ilha
Da Ilha de Santa Catarina

Lá na praia tem
um pé de manga-coco
e quando o vento bate
deixa muito louco
todo mundo passa
e sempre pega um pouco
dessa fruta doce
que faz lambuzar, ah, ah

Ai que saudade da ilha
Da Ilha de Santa Catarina

Por favor rapaz
Tome muito cuidado
que essa fruta é boa
mas tem um caroço
que se for chupar
tu fica todo doido
com essa maravilha
que é a manga-coco...

Ai que saudade da ilha
Da Ilha de Santa Catarina

Um dia me disseram
que essa manga veio
com aqueles negros
escravos da Bahia
que foram criados
com a violência
mas são todos filhos
da mãe poesia...

Ai que saudade da ilha
Da Ilha de Santa Catarina

Se você chegar
pra conhecer a ilha
e quiser comer
dessa maravilha
que é a manga-coco
pode perguntar
onde é que fica
o Ribeirão da Ilha...

Ai que saudade da ilha
Da Ilha de Santa Catarina

Um comentário:

José Vitor Centeno Rodrigues disse...

O Ribeirão da Ilha é um lugar mágico. Imagino ter tido essa magia por "aldeia da minha infância", citando aqui o grande Fernando Pessoa, ao se referir ao Tejo. Isso me faz lembrar que preciso voltar por lá, de preferência num passeio de moto, para respirar melhor aqueles ares.